Blog Déjà Vu

O sucesso das lojas Fast Fashion somos nós!

By  |  3 Comments

Quem nunca se perguntou: Por que a loja Zara de Paris, Londres, Nova York dentre outras, tem tantas coisas MEGA bacanas das quais eu não encontro aqui? Por que os preços são melhores? Por que ficamos tão anciosas com a chegada da Top Shop no Brasil? Por que quando viajamos para o exterior, estas lojas são paradas obrigatórias, praticamente viram ponto turístico no nosso roteiro rsrsrs???

Pois é, eu sou uma que quando sempre viajo, faço questão de passear por estas lojas, afinal é tiro certeiro (muitas compritchas)  quando se está dentro de uma delas!

A resposta para o sucesso e para essas perguntas que as vezes nos perseguem sobre estas lojas conhecidas como fast fashion segundo  Enrico Cietta, (consultor de moda e diretor da empresa de pesquisa e comunicação italiana Diomedea) SOMOS NÓS!!!

As lojas fast fashion como ZARA, H&M, MANGO, TOP SHOP, dentre outras, trazem peças que estão no auge da moda, porém com um preço mais baixo. Elas sabem aproveitar o que nós, consumidores, temos de melhor. Não digo apenas o poder aquisitivo que cada uma tem, mas sim, o conhecimento de mercado e estilo.

Ou seja, em fast fashion, além de comprar e dar lucro direto à marca, acabamos por trabalhar na empresa! hehehe

Enrico Cietta, traduz este fenômeno da seguinte maneira “O grande mérito de uma verdadeira fast fashion é dar poder aos seus clientes. Eles (os consumidores) acabam por trabalhar como consultores de moda destas empresas, já que elas produzem novas peças a partir da oferta e da procura de suas próprias prateleiras. Diferentemente de grifes do pronto-para-vestir como Chanel, Marc Jacobs, Armani, Prada e Celine, entre tantas outras, uma loja fast fashion não tem uma coleção inteiramente pronta a cada temporada. Ela é desenvolvida de acordo com os desejos do mercado”

Funciona mais ou menos assim: Inicialmente, são produzidas apenas pequenas coleções, que servem como “teste” de mercado. Chegam às lojas e, se vendidas, outros modelos a partir daquele são desenvolvidos em variações de cores e detalhes. Se o produto for “rejeitado” pelos consumidores, ele é rapidamente retirado das araras e seu molde colocado na gaveta. Sendo assim, quem determina o que vem na próxima leva de peças, é o próprio consumidor, explica Cietta. (Fica aí a resposta das perguntas que sempre fazemos… somo nós que editamos a moda destas lojas)

“Não é por ser barata, não é por ter infinitas filiais, não é por ser ágil na hora de reabastecer o estoque. Essas são apenas algumas variáveis do sucesso do sistema. Uma fast fashion só é considerada como tal (e só terá lucros como tal) se deixar seus clientes comandarem a produção”, define o consultor.

E ai, agora deu para entender como funciona e o porque do tamanho sucesso dessas lojas???

Beijinhos,

Nanda

 

Fonte: Livro de  Enrico Cietta “A Revolução do Fast-Fashion – Estratégias e modelos organizativos para competir nas indústrias híbridas” e site Chic.

3 Comments

  1. Daniele

    22 de dezembro de 2011 at 14:52

    Que legal… adorei saber! Bjs

  2. Débora

    22 de dezembro de 2011 at 15:10

    Legal,,, amo a Zara e sempre faço estas mesmas perguntas… acho as coisas da Zara do Barra shopping cpmletamente diferente da Zara do Leblon

  3. Cristiana

    22 de dezembro de 2011 at 18:07

    É, eu queria que as lojas fast’s daqui fossem como as lá de fora.
    Ou não…rsrsrs porque ia gastar bem mais! rsrsrs

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*